quarta-feira, 18 de agosto de 2010

esqueleto antigo


Não como antes, mas ressurgiu. As aflições voltaram, as mãos tremendo novamente, e a minha cara de paisagem não existe mais. Desafetos não mais afetam, desânimo somente anima, e sempre com um sorriso largo. Não posso tocar, mas saber que ela voltou é tão gratificante. Isso anula minha dor no braço, elimina a oleosidade da minha pele, desembaraça meus cachos inexistentes e faz com que minha tolice de viver só aumente. Perco o sono, ouço qualquer música, danço valsa, como pedras, e não procuro nada. Apenas comunico dizendo que ela voltou! Dançaria um tango, mas não sei nem ao certo descrevê-lo. Estou bobo, idiota, com saudades, de algo imaginário, novo. Que seja verdade, que valha a pena.


Que exista!


Nenhum comentário:

Postar um comentário